Não julgue para não ser julgado

http://3.bp.blogspot.com/_YuHK2mBn2Zg/TGbPF1efrpI/AAAAAAAAABk/V0uTv1sEPAE/s320/apontar_os_defeitos.jpg

Certa vez, em uma cidade do interior de Minas, um padeiro foi ao delegado e deu queixas do vendedor de queijos que segundo ele estava roubando, pois vendia 800 gramas de queijo e dizia estar vendendo 1 kilo.

O delegado pegou o queijo de 1 kilo e constatou que só pesava 800 gramas e mandou então prender o vendedor de queijos sob a acusação de estar fraudando a balança.

O vendedor de queijos ao ser notificado da acusação, confessou ao delegado que não tinha peso em casa e por isso, todos os dias comprava dois pães de meio kilo cada, colocava os pães em um prato da balança e o queijo em outro e quando o fiel da balança se equilibrava ele então sabia que tinha um kilo de queijo.

o delegado para tirar a prova mandou comprar dois pães na padaria do acusador e pode constatar que dois pães de meio kilo se equivaliam a um kilo de queijo. concluiu o delegado que quem estava fraudando a balança era o mesmo que estava acusando o vendedor de queijos.

Nós somos um pouco assim e muitas vezes acusamos os outros de nossos próprios vícios.

Sopa de pedra

http://www.vozesdapaz.com.br/mensagens/wp-content/uploads/2013/12/winwalls.ru_54615-e1387539252191.jpg

Era final de um dia frio e começava a nevar.

Um mendigo estava vagando pelo campo, sentia muita fome e frio, quando deparou com uma casa muito bonita.

Ao se aproximar, notou que lá dentro havia uma família reunida em volta de uma lareira.

Os adultos conversavam, as crianças brincavam e a empregada colocava a mesa para o jantar.

Juntou alguns gravetos que conseguiu arranjar próximo ao bosque; acendeu uma fogueira e tirou uma panela velha de dentro de uma sacola.

Colocou neve dentro da panela para aquecer, e acrescentou uma pedra de bordas arredondadas para ferver junto.

Foi até a casa, pela porta dos fundos, e solicitou um pouco de comida.

Como a resposta foi negativa, pediu então, um pouco de sal.

– Mas por que o senhor quer um pouco de sal?

– É que eu vou fazer uma sopa de pedra e seria muito bom se tivesse algum tempero.

Logo depois, voltou à casa e pediu à empregada se ela poderia arrumar alguns legumes, um resto de cenoura, um pouco de batata, etc.

Conseguiu e foi colocar em sua panela.

A cozinheira começou a ficar curiosa.

Separou outros legumes e foi até ele para ver o que estava acontecendo.

– Tome, consegui mais alguns legumes e uns outros temperos. Deixe-me ver o que está fazendo.

Olhando para dentro da panela com água fervendo, pôde notar que no fundo havia uma pedra.

– O senhor está mesmo cozinhando uma pedra?!!

– Sim, esta sopa é uma delícia !! A senhora nunca experimentou?

– Cozinho a muitos anos, mas sopa de pedra eu nunca tinha visto !

– Ela fica muito melhor quando se acrescenta alguns ingredientes, como pedaços de carne de frango, tomates e bons temperos.

Mas o segredo está na pedra !

Como boa cozinheira que era, entrou dentro da casa e foi providenciar os ingredientes que faltavam e tratou de trazer outros, só para ver como ficava a sopa.

Percebendo a movimentação que acontecia fora da casa, a família procurou saber o que estava ocorrendo.

Tomando conhecimento do fato, o senhor foi falar com o mendigo e , morrendo de curiosidade acabou experimentando da iguaria.

– Muito interessante… até que é bem gostosa!!

O mendigo foi, aos poucos acrescentando em sua sopa, tudo o que lhe davam, sob os olhares curiosos de todos.

Tudo fervia dentro daquela panela, inclusive a pedra.

E enquanto esperavam pelo resultado, tiveram a oportunidade de conversarem e até de fazerem uma outra fogueira bem maior para se aquecerem.

Quando a sopa ficou pronta, o mendigo pediu alguns pratos, pois só tinha um.

O senhor da casa assim o fez.

Cada um foi servido pelo mendigo e degustaram da deliciosa sopa.

Todos comeram e adoraram…O sabor realmente ficara muito diferente com a pedra.

E de longe, podia-se ver uma casa não só iluminada por dentro mas, por fora também, pessoas que nunca tinham se visto, confraternizavam-se ao redor de uma panela velha cheia de sopa de pedra.

O que se pode tirar dessa história é uma enorme lição de vida.

Haverá dias que você terá coisas em abundância para oferecer às pessoas, mas, haverá dias que você não terá mais do que uma pedra à oferecer.

E a partir dela , você começa a perceber que pode transformar o mundo.

Podemos fazer tudo dar certo se realmente quisermos e soubermos usar os temperos certos, mesmo tendo uma pedra como o único ponto de partida.


Carinho cura doente mental

http://www.vozesdapaz.com.br/mensagens/wp-content/uploads/2015/12/121927063780-630x300.jpg
Certa vez, aconteceu um fato trágico: Uma senhora perdeu, em um acidente, o marido e os dois filhos.

Quando ficou sabendo, ela desequilibrou-se mentalmente e teve de ser internada em uma clínica psiquiátrica.

A mãe foi visitá-la, mas a jovem mulher estava tão mal que nem a reconheceu.

Então a mãe tomou uma decisão: Insistiu e conseguiu ser aceita na clínica como funcionária gratuita.

E passou a ficar o dia todo ao lado da filha.

Durante longas horas segurava-lhe a mão, acariciando o seu rosto e beijando-a demoradamente.

Às vezes, a moça enfurecia e agitava-se a ponto de precisar ajuda de enfermeiros.

Mas a mãe não desanimava.

Pelo contrário, multiplicava ainda mais os carinhos.

Um dia, aconteceu uma surpresa: Após a mãe rezar com ela uma Ave Maria, jovem senhora como que acordou de um longo sono.

Olhou longamente para a mãe e disse: “Mamãe!” e a abraçou.

Os médicos foram chamados e comprovaram o fato: A enferma tinha recuperado a consciência.

Foram tirando os medicamentos e logo a jovem mãe e esposa teve alta.

O carinho a curou!

O Amor prolongou a vida daquela doente mental.

Aí esta um segredo de espiritualidade: Para que sua oração transforme o coração do seu irmão, esta precisa estar acompanhada de gestos de amor concretos por ele.

O amor muda tudo.

Há uma palavra poderosa: A fé que nasce do amor tem o poder de realizar milagres.

Ela tem o poder de mover montanhas.

O amor é a proximidade fazem bem a todos, especialmente aos doentes.

Não é fácil cuidar de um irmão que está triste, quando ele está bem tudo é ótimo.

Tenha paciência para cuidar do seu pai que está na velhice, do seu amigo drogado, da sua irmã deficiente…

É fácil julgar os outros, dizer a eles o que fazer ou não.

Cuidar que não é fácil!

A preparação para o Natal é uma oportunidade de ouro para compreender que Deus é amor.

Portanto, faça o bem a todos, principalmente aos fracos.

Filhos, tenham paciência com os seus pais.

Pais, tenham paciência com os seus filhos.

Ás vezes você só cobra, não acolhe.

Muita gente entra no pecado não porque quer, mas, sim, porque procura um refúgio para os seus problemas.

O Amor jamais acabará. As profecias desaparecerão, o dom das línguas cessará, o dom da ciência findará; (…) Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade – as três. Porém, a maior delas é a caridade (1cor 13, 8).

 

Fonte: Reflexões Pe. Queiroz

Resgatando o verdadeiro Natal… com presépio de massinha de modelar

https://fbcdn-photos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xaf1/v/t1.0-0/s526x296/12345547_992716757452007_1108604847495942003_n.png?oh=fa34c1937a826acccbd4cf947170b964&oe=56F2AAB2&__gda__=1458482517_1bc1d558e597d9a1a58d6fb545f523e5

Uma sugestão simples e belíssima para viver o Advento em família com as crianças:

Que tal montar com elas um presépio feito de massinha de modelar?

Nessa atividade tão singela, aninha-se uma quantidade extraordinária de valores:

– União familiar: todos juntos fazendo a mesma tarefa em equipe;

– Proximidade entre pais e filhos: é a maior de todas as necessidades das crianças!

– Cultura: é uma forma prática de contar a história de Jesus, Maria e José e seu contexto histórico e geográfico

– Fé: é um jeito vivo e pessoal de entrar em contato com a História da Salvação;

– Esperança: mais que uma história, o nascimento de Jesus é uma promessa para quem crê;

– Caridade: o amor em família se manifesta nos momentos de partilha e comunhão;

– Educação física: todos trabalham a coordenação motora – e, de quebra, por que não ensinar também a boa postura corporal ao estar sentados?

– Atividade intelectual: todos trabalham a imaginação e as crianças assimilam palavras e conceitos talvez desconhecidos para elas, como “manjedoura” ou “cocho”, “estrebaria”, “natividade”, “gruta”, “reis magos”, “mirra”…

– Humildade: a história do Menino Deus nascido em miséria é uma lição arrasadora para dominar a soberba;

– Solidariedade: saber que há crianças nascendo em tamanha pobreza até hoje é uma oportunidade magnífica de aprender que é necessário ajudar o próximo também materialmente;

– Oração: aprende-se que também as atividades do dia-a-dia podem ser transformadas em oração quando são feitas na companhia de Jesus!…

E muitos outros valores que você mesmo vai descobrir – na prática!

Vamos tentar?

Fonte: Aleteia